Empregos que a gente já nem lembra que existem mais

O avanço tecnológico pode gerar novos empregos, mas também pode eliminar (muitos) outros.


Você já parou pra pensar quantas profissões deixaram de existir nos últimos anos por conta do avanço tecnológico? Tem vezes que a gente nem se toca, mas funções corriqueiras simplesmente desapareceram e foram substituídas.

What Confused GIF by chescaleigh
Você tá me demitindo?

Talvez, por muita gente achar que são funções “de menor importância” – o que, convenhamos, é um argumento ridículo -, as pessoas façam vista grossa. Ascensoristas e atendentes de caixa de mercado, por exemplo, já foram substituídos. Você provavelmente já deve ter visto e nem sentido as mudanças ao seu redor. 

ARRUMADOR DE PINO DE BOLICHE

Você já esteve em uma pista de boliche e nem deve ter percebido, mas toda vez que dava um strike (acredito que você jogue bem), os pinos eram arrumados na ordem certinha. Mas você sabia que existia um profissional dedicado APENAS a esta função?

A cada jogada e derrubada, ele era o responsável por ir lá atrás e arrumar tudo direitinho. Impressionante, não é?

ACENDEDOR DE POSTE

Antes da existência dos postes com luzes de led e outras firulas mais, ele era o responsável por iluminar as calçadas e ruas pelas quais os moradores passavam. Agora, anos depois, alguém fica numa central e só precisa apertar um botão para ligar milhares de postes.

DESPERTADOR HUMANO

E se você tivesse nascido durante a primeira Revolução Industrial e precisasse acordar bem cedo para, digamos, uma entrevista de emprego naquela fábrica que sempre sonhou? Você contrataria um despertador humano, é claro! Ele bateria na sua janela até você acordar, independente do andar – alguns usavam até mesmo varas. A prática se manteve viva até meados de 1950, quando a população já conseguia adquirir despertadores a um preço mais amigável.

Acorda aí, pô!

O futuro também guarda muitas surpresas

Não pense que estas profissões sumiram de um dia pro outro e que, olhando pra trás, eram nichos. Nada disso.

Assim como elas, muitas funções atuais também deixarão de existir.

Quando uma pessoa se forma em direito, ela precisa ter experiência pra entrar no mercado de trabalho, certo? Por vezes, é necessário aceitar algumas funções mais básicas, iniciais, e realizar tarefas como cruzamento de dados, assinaturas e análise de antecedentes criminais.

Acontece que funções assim têm desaparecido da rotina dos escritórios, já que programas de machine learning têm realizado estas tarefas em questão de segundos. Se trabalhos mais simples assim somem, somem também as vagas de entrada. E se somem as vagas de entrada, como os iniciantes da área vão ganhar experiência? Fica a reflexão.

E a gente trata disso no nosso podcast, o Tecnofanias. Disponível nas principais plataformas de streaming, tentamos elucidar alguns dos principais problemas dos empregos tecnológicos – e desempregos também. Você pode ouvir clicando no menu lá na parte superior, na sessão “Podcasts”.

Total
12
Shares
1 comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens relacionadas
WordPress Ads