GPT-40: quando o filme “Ela” deixa de ser ficção para se tornar um documentário

A última atualização do GPT-40 da OpenAI promete transformar profundamente as interações humanas. Com suas novas capacidades, essa inteligência artificial avança para além do que imaginávamos possível, estreitando ainda mais os laços entre humanos e máquinas.

Se você quer saber como as IAs podem ajudar no desenvolvimento de profissionais de marketing, recomendo a leitura deste artigo da Forrest.

O que é o GPT-40?

Se você não está debaixo da terra, sabe o que é GPT. Mas, para os desavisados, o GPT (Generative Pre-trained Transformer) é uma IA da OpenAI que compreende e gera texto com impressionante precisão. Funciona como uma vasta biblioteca de conhecimento, pronta para responder a perguntas, contar histórias, estruturar contextos semânticos de alta complexidade e até fazer piadas.

Quando a realidade imita a ficção: filme “Ela”

No filme “Ela” de Spike Jonze, o curioso caso de Theodore Twombly começa quando ele, em crise após uma separação traumática, encontra sentido ao se apaixonar por Samantha, uma IA sensível, capaz de despertar uma conexão emocional profunda. Com o GPT-40, essa realidade parece cada vez mais próxima. A IA agora interage de forma assustadoramente empática e personalizada, o que antes só era possível na ficção.

Principais recursos do GPT-40

gpt-40

Evolução neural da inteligência

O GPT-40 refinou ainda mais suas capacidades cognitivas, permitindo uma compreensão de contextos complexos e gerando texto com sofisticação humana. A última versão turbo do GPT é capaz de processar 128.000 palavras simultaneamente, enquanto a versão 3.5 renderizava 8.000. Esse avanço técnico significa respostas mais precisas e contextos mais extensos, melhorando significativamente a experiência do usuário.

Capacidade de compreender áudios

Agora, o GPT-40 também compreende comandos de voz, tornando a interação mais natural e intuitiva.

Capacidades nativas moldais

Com a integração de imagens e vídeos, o GPT-40 oferece uma experiência multimodal, enriquecendo e humanizando ainda mais a interação.

Empatia e personalização

A IA ajusta suas respostas conforme o estado emocional do usuário, proporcionando interações humanizadas e significativas. Essa tarefa é realizada através de:

  1. Análise do tom emocional com base na seleção de palavras do usuário;
  2. Modelos extensos de contexto de conversa;
  3. Construção de respostas empáticas;
  4. Personalização de tom de voz a partir da experiência construída com cada usuário;
  5. Integração multimodal para avaliar tom de voz e expressões faciais.

Ironia e humor

A capacidade da IA de entender ironias e produzir piadas torna as interações mais ricas e envolventes.

Existe convergência possível?

O GPT-40 pode revolucionar o mercado de trabalho, automatizando tarefas repetitivas e liberando os humanos para se concentrar em atividades criativas e estratégicas. No entanto, isso também levanta questões sobre a substituição de empregos, a necessidade de novas habilidades e um complexo debate ético e filosófico.

O uso das IAs, como o GPT-40, vai além de facilitar tarefas. Elas emulam cada vez mais processos inerentes à consciência humana. Assim como retratado em “Ela”, essas tecnologias apresentam questionamentos significativos sobre a autenticidade dos afetos e os impactos gerados por uma tecnologia que simula a consciência humana.

LEIA MAIS:

Gamma.ai: a Inteligência Artificial de apresentações impactantes

SGE: Pesquisa Google com IA Generativa chega ao Brasil

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas
WordPress Ads